História


recreio

recreio

 

Sua vegetação nativa é composta de restingas, de muito areal e pântano, e também por isso esta região permaneceu isolada durante muito tempo.
Já no século 20 houve a aquisição das terras por Joseph Weslley Finch, da denominada Gleba B, e pelo Banco de Crédito Móvel, da área da Gleba A.
A formação do Recreio se daria a 11 de fevereiro de 1953 com o lançamento do Projeto de Urbanização do Recreio dos Bandeirantes (PA 6028), de autoria do engenheiro e urbanista José Otacílio Saboya Ribeiro, num projeto urbano que prevê a integração ambiental e comunitária, inspirado nos ideais anglo-americanos da Cidade Jardim, conciliando a topografia local a um traçado reticular segmentado com diversas praças e parques de floresta nativa.
Entre os anos de 1958-59 a Companhia Recreio dos Bandeirantes foi responsável pela implementação do projeto e venda dos lotes recém-desmembrados que compunham a chamada Gleba B. O senador potiguar Georgino Avelino, então presidente do Banco do Distrito Federal, esteve entre os que acreditavam na expansão da cidade em direção ao Sudoeste, pressionando pela urbanização da área e sua venda aberta à sociedade, contratando o então jovem corretor de imóveis Sergio Castro, que promoveu a venda em lançamento da Gleba B, desde um barracão localizado junto à Pedra do Pontal, que posteriormente, ao fim do lançamento, foi vendido por Sergio Castro a um famoso restaurante.

Localizado a oeste do bairro da Barra da Tijuca e a leste de Guaratiba, o Recreio dos Bandeirantes é o bairro do Rio de Janeiro que tem crescido mais rapidamente nos últimos anos. Em 1980 tinha 5.276 habitantes, e em 1991, tinha 14.344 habitantes. Sofreu uma explosão populacional a partir da década de 2000-2010, passando de 37.572 habitantes em 2000 para 82.240 habitantes em 2010. É dos bairros que mais se valorizam na cidade, atraindo as classes média-alta e alta, vindas de bairros nobres já saturados, e a classe média emergente, vinda de bairros mais humildes.
Parte da região da Barra da Tijuca, o Recreio faz divisa com os bairros da Barra da Tijuca, Camorim, Vargem Pequena, Vargem Grande, Grumari e Barra de Guaratiba e possui área total de 3065,56 ha, o equivalente ao tamanho da Zona Sul carioca. É habitado por pessoas de bom padrão financeiro. Na maior parte do bairro prevalece o gabarito de construção residencial limitado a 3 pavimentos.
O bairro possui as praias mais limpas, reservadas e das mais bonitas da cidade: Praia do Recreio, Praia do Pontal, Praia da Macumba, e Prainha. Além disso 1/3 de extensão da Praia da Reserva e a Praia do Abricó (nudismo) estão localizadas em áreas contíguas ao bairro.
A Pedra do Pontal marca o início da Praia do Pontal e tornou-se uma referência, em parte devido à música “Do Leme ao Pontal” de Tim Maia, muito famosa no Rio de Janeiro.

Mapa da região da Subprefeitura da Barra, que inclui o Recreio.
Na Praia do Pontal existe também uma formação rochosa que lembra o Arpoador, chamada “Pedra de Villegaignon”, por onde os franceses, no passado colonial, iniciaram uma das duas invasões ao Brasil.
O Recreio, bairro com explícita vocação ambiental, conta também com bons e amplos parques e reservas ambientais, como Parque Chico Mendes, Parque Marapendi, Parque Municipal da Prainha, bosques e praças bem arborizadas, entre elas a Praça Tim Maia localizada próxima a Pedra do Pontal. Suas ruas também são muito arborizadas e seus prédios, via de regra, apresentam belos jardins. Nele também encontramos uma grande extensão de ciclovias.
O Recreio é muito famoso entre surfistas, skatistas, hippies e ecologistas, tanto pelas ondas e clima tranquilo quanto pela flora e fauna. O bairro ainda permite grande contato e convívio harmônico com a fauna local, não sendo rara a presença de jacarés-de-papo-amarelo, capivaras, biguás, saguis, jacutingas, tiês-sangue em seus canais, parques e eventualmente em suas ruas.
O bairro tem apresentado avanços e melhorias. Hoje, atrai grandes empresas e já possui uma rede extensa e diversificada de comércio, com grandes shoppings e hipermercados, colégios e universidades tradicionais, opções de lazer, inúmeros bares, cafés, churrascarias, steakhouses, pizzarias, restaurantes, além dos quiosques localizados no maior cartão postal do bairro, a praia.
Além disso, o setor de construções de alto padrão continua em alta no bairro, que já é considerado um dos mais nobres da cidade. A rede de transportes já é mais avançada do que antigamente, com a presença da Linha Amarela e aumento de linhas de ônibus, devendo melhorar ainda mais com a chegada do metrô até a Barra pela Linha 4. A integração geográfica direta com a Barra da Tijuca também é positiva para os moradores do bairro, que podem contar com os inúmeros serviços da Barra a poucos minutos de distância.
Possui características como o elevado padrão das construções e a presença constante de praças, bosques e parques; ciclovias cruzando o bairro e o interligando à Barra; e a arborização das ruas.
Muitos artistas também têm optado por morar no bairro. Foi o bairro que mais avançou no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), passando de 0,794 em 1991 para 0,894 em 2000, o 31º melhor da cidade do Rio de Janeiro (índice já defasado) 7 . O Recreio, ao contrário do bairro da Barra da Tijuca, que tem arranha-céus residenciais, possui principalmente prédios baixos com grandes varandas. É considerado um dos bairros mais seguros da cidade.[carece de fontes]
Seu clima é dos mais amenos da cidade graças à proximidade com o mar, presença de vários canais e lagoas, distanciamento entre as construções de poucos andares, e presença abundante de vegetação.

 

 

 

 

This article from secure edge networks, 8 studies investigate the service show ipads in the classroom improve education, offers more
*O conteúdo(textos e imagens) publicados no Portal Centro são de exclusiva responsabilidade do seu autor, identificado sempre abaixo do artigo.
Busca Bairro